Follow by Email

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Cachorro-quente com abacate



Existe uma confusão entre paladar e sabor. Nosso paladar é uma sensação química percebida pelas células receptoras especializadas, sabor é uma fusão de várias sensações. Para sentir o sabor, o cerebro interpreta não apenas os estímulos gustativos (paladar), mas também os estímulos olfativos (olfato) e as sensações térmicas e táteis, ou seja, temperaturas e texturas.

O teste da sensação também é uma ciência subjetiva, pois talvez o paladar seja o mais subjetivo das sensações. Algumas pessoas têm traços genéticos hereditários que fazem certas comidas terem um gosto desagradável. Outras, chamadas “superprovadoras”, possuem concentrações anormalmente altas de receptores gustativos. Devido ao seu paladar elevado, uma comida sem graça e sem gosto acaba se tornando saborosa. E, como todos sabemos, cada pessoa tem um paladar diferente: nem todos apreciam os mesmos sabores...

Nossa resposta aos sabores que também tem uma determinação genética e o gosto pelo consumo de açúcar, que juntamente à outros fatores vem criando problemas de obesidade em países desenvolvidos, é uma herança da dificuldade que nossos ancestrais tinham de encontrar alimentos ricos em glucose no passado remoto da humanidade e que foi sendo determinado historicamente através de cada sociedade, com suas diferentes culturas.

Uma das mais embaraçosas experiências que vivi, foi quando provei sushi pela primeira vez. Havia sido convidada a almoçar com una amigos e me deparei com aquela linda bancada com os mais lindo e delicados rolinhos da culinária japonesa. Coloquei com muita vontade um daquelas coisinhas coloridas na boca e tive que me conter para não vomitar ali, na presença de todos. Graças a Deus existe a coca-cola light! No entanto, o que realmente quero contar, é que apesar deste triste começo, hoje sou a maior apreciadora de sushi e de toda sorte de comida exótica do planeta. Minhas filhas também entraram na onda, e sair para comer sushi é um de nossos programas gastronômicos preferidos.

Ah, mas você vai dizer que sushi todo mundo come, que é moda e tudo mais. Mas quem de nós não torceria o nariz quando alguém lhe oferecesse colocar abacate no seu cachorro quente? Em alguns lugares, como o Chile, por exemplo, essa seria a iguaria mais apreciada.

Assim, antes de se recusar a experimentar, lembre-se que precisamos educar nosso paladar. Talvez você não se torne fã do abacate em seu cachorro quente, mas abrindo-se para o novo você poderá desfrutar de coisas deliciosas na vida, e olha que eu não estou me referindo simplesmente à mesa. Viver novas experiências, inclusive algumas um tanto amargas, faz parte da vida, e no final prevalece aquela famosa frase, o que não mata, engorda! Creio que a pergunta seria, qual é verdadeiro motivo ou medo que muitas vezes nos deixa paralisados, inertes ou simplesmente estagnados na nossa zona de conforto. Para que começar um novo relacionamento? Por que me arriscar a mudar de emprego? Ou começar um novo estilo de vida que vai mudar minha relação com a comida e até com o meu corpo?

Ah, e dizem que para que realmente afirmemos que não gostamos de determinado alimento, precisamos experimentá-lo pelos menos 15 vezes. Portanto, depois de sua 15ª. tentativa, e se realmente você não gostou do “guacamole” (não especificamente em seu cachorro quente: pode ser degustado também em saladas, torradas, nachos, pão integral, etc) me avise, que posso te mandar a receita de kibe de beringela!

Bom apetite !

O alimento

Abacate: ele leva a injusta fama de ser uma fruta que engorda. De fato é rico em gorduras, mas é gordura da boa, chamada monoinsaturada, que regula as taxas de colesterol e afasta o risco de doenças cardiovasculares. Consumido na medida certa, suas calorias contam menos que seus benefícios..

Rico em vitamina C, vitamina B6, magnésio e ferro, a fruta também aumenta a sensação de bem-estar, reduzindo a ansiedade e fazendo com que você evite beliscar guloseimas açucaradas. Ainda é rico em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina e presente nas vitaminas do complexo B, principalmente, na vitamina B6.

Minha receita:


Guacamole:

· 2 tomates médios sem sementes

· • sal a gosto

· • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva

· • 1 cebola média picada

· • suco de 1

limão médio

· • 1 abacate médio

· • folhas de 1/2 maço médio de coentro

· • 1 pimenta dedo-de-moça


Minha sugestão: Completo (cachorro quente a moda chilena)

Alem do tradicional pão com salsicha, ele leva:

- guacamole, numa versão mais simplificada, feita apenas de abacate, sal e limão)

- tomates picadinhos (tipo vinagrete)

- repolho (cortado fininho, cozido com água, sal e um pouco de vinagre)

- maionese, catchup, mostarda e molho de pimenta a gosto

2 comentários: